Impressões digitais biométricas

Desbloqueando o mundo com a biometria

  • Os dados biométricos assumem diversas formas atualmente, simplificando e protegendo nossas vidas diárias
  • A impressão digital foi a primeira forma de identificação biométrica aplicada e continua a ser a mais usada até hoje. Entretanto, o reconhecimento facial também ganhou espaço
  • Determinadas circunstâncias exigem o uso de verificações multi-biométricas - como a combinação de impressões digitais com o reconhecimento de íris ou de face, por exemplo - para se obter um alto nível de confiabilidade.

Vincent Bouatou, Director Innovation Lab at IDEMIA

A biometria já entrou em inúmeros aspectos da nossa rotina. Se você já desbloqueou seu smartphone com a sua impressão digital, atravessou a fronteira de um país ou apenas caminhou pela rua em uma cidade conectada, a biometria já afetou alguma parte da sua vida – provavelmente a simplificando ou protegendo de alguma maneira.
BOUATOU Vincent - Director Innovation Lab at IDEMIA

Tudo começou com a impressão digital

Nossas impressões digitais são inteiramente únicas e permanecem inalteradas durante toda a nossa vida – elas nunca mudam, mesmo à medida que crescemos, envelhecemos, engordamos ou emagrecemos (não se pode dizer o mesmo de uma foto de identidade). é por esse motivo que a biometria começou sua jornada com a coleta e o uso de dados de impressões digitais. Durante anos, a polícia recolheu digitais deixadas para trás em cenas de crime e comparou as provas com um banco de dados de pessoas suspeitas. Nos últimos anos, a tecnologia biométrica neste campo sofreu uma enorme revolução, impulsionada, em grande parte, pela digitalização. Com as ferramentas de investigação por vídeo, os especialistas da polícia podem agora escanear gravações de vídeos para identificar o rosto de uma pessoa em uma rua congestionada, ou pesquisar horas de gravações de maneira eficiente em busca de pistas após um incidente de segurança grave.

A biometria em escala global

Impressoes digitais totalmente unicasÀ em medida que a tecnologia biométrica continua evoluindo, a sociedade descobre novas maneiras de integrá-la ao dia a dia dos cidadãos. Hoje, os dados biométricos proporcionam aos cidadãos o direito fundamental de serem reconhecidos por seus governos e possibilitam o acesso a uma série de serviços, como programas sociais, cuidados médicos ou serviços financeiros. E embora as impressões digitais continuem a ser a referência para dados biométricos, existem algumas circunstâncias específicas que originaram um processo de verificação dupla.

Em 2009, a IDEMIA se juntou a um ambicioso projeto liderado pelo governo indiano: atribuir um número de identidade único para cada residente da Índia – um país com mais de 1,3 bilhão de pessoas. O programa Aadhaar tem sido extremamente bem-sucedido; e um dos fatores-chave para o sucesso deste programa é a utilização de múltiplas credenciais biométricas para fazer frente a um desafio bem conhecido das impressões digitais em um subconjunto da população. Na verdade, as impressões digitais de trabalhadores braçais, por exemplo, podem se tornar difíceis de ler ou comparar ao longo do tempo. Por essa razão, o programa Aadhaar integrou a leitura da íris como uma fonte secundária de identificação, com objetivo de reforçar a segurança para todos os cidadãos.

Em alguns países, o uso da biometria é também um meio eficaz para que os governos alcancem seus cidadãos e proporcionem acesso a eleições justas. Na África, o MorphoTablet 2i da IDEMIA oferece a solução completa e integrada aos cidadãos em áreas rurais que precisam acessar o registro eleitoral. Esse terminal biométrico móvel é capaz de cadastrar os cidadãos utilizando três tipos de dados biométricos (impressão digital, íris e face) e, devido a sua portabilidade, é a ferramenta ideal para áreas remotas.

A biometria ganha força

Reconhecimento facial metodo mais utilizadoExistem muitos fatores que determinam qual seria a biometria mais adequada para uma determinada situação. Em viagens aéreas, por exemplo, o padrão de referência é o reconhecimento facial. Quando a norma internacional da ICAO exigiu pela primeira vez uma foto como elemento biométrico obrigatório para todos os passaportes, ela estabeleceu a tendência da indústria. Hoje, a tecnologia biométrica nos aeroportos é fundamentalmente baseada em sistemas de reconhecimento facial para verificar a identidade dos viajantes.

Um exemplo da biometria em seu ápice é o terminal T4 no aeroporto de Changi, em Cingapura. Para acompanhar as milhares de pessoas que passam pelo local todos os dias, o aeroporto conta com a tecnologia de reconhecimento facial para check-in automático e substituição dos cartões de embarque, além do pagamento nas lojas de free shop. Isso aumenta a segurança, otimiza os recursos utilizados nas fronteiras e dinamiza a viagem do passageiro.

Biometria diária

Biometria ampla adocao smartphonesEmbora as vantagens sejam inúmeras, estamos apenas começando a vislumbrar as possibilidades oferecidas pela biometria. Nos últimos anos, a biometria tem vivido uma adoção generalizada após sua integração aos smartphones. A leitura de impressões digitais e o reconhecimento facial tornaram a biometria parte da nosso dia a dia. Atualmente, nossos dados biométricos desbloqueiam nossos telefones com inovações como o 3D Face da IDEMIA, mas as oportunidades de aplicação estão se multiplicando exponencialmente – desde nos identificarmos com segurança por meio do nosso smartphone para abrir uma conta bancária ou contratarmos um novo plano de dados móveis remotamente, até a substituição da senha do nosso cartão pela impressão digital.

Os benefícios da biometria na vida diária continuarão a impulsionar as taxas de adoção. Amanhã, pode ser que o mundo seja um lugar sem códigos ou senhas, um mundo no qual, em vez de senhas para acessar sites ou serviços, usemos algo muito mais seguro e impossível de esquecer: nossos próprios dados biométricos.