default image

O futuro da identificação

de Jacques VAN ZIJP, Senior Vice President, Digital ID, Public Security & Identity, and General Manager of Netherlands BV

Identidade Pessoal
  • As novas identidades digitais redefinem o conceito e o uso da identificação;
  • Embora as inovações transformem o cenário da indústria de identificação, os tradicionais documentos físicos de identidade continuarão sendo relevantes;
  • Expectativas crescentes por uma experiência de usuário de destaque e o aumento de casos de fraude com identidades e violações de segurança mantêm o setor em alerta.

Influenciado pelos nossos tempos de mudança, os avanços tecnológicos, o crescimento do mundo digital e os novos comportamentos de consumo, o conceito de identidade continua a se adaptar e evoluir.

A identidade é um dos raros temas que diz respeito a todo ser humano no planeta – de recém-nascidos a seus bisavós, de cidades ao interior, das nações mais desenvolvidas do planeta àquelas que começam a florescer. A capacidade de comprovar nossa própria identidade e usá-la com absoluta confiança e facilidade é o que garante que possamos viajar, fazer compras, trabalhar, ter acesso à educação e saúde. E é o que faz o mundo avançar.

Muitos consideram a identidade como uma questão governamental – e embora os governos sejam, de fato, responsáveis pela emissão de identidades, na realidade, uma identidade única e segura também é a chave para quase todos os aspectos de nossas vidas pessoais. Os desafios à frente exigem que os principais atores do setor se antecipem a essas tendências e liderem a caminhada adiante. Na verdade, a evolução tecnológica e os avanços digitais que moldam nosso mundo forçam a indústria a se adaptar e evoluir o conceito de identidade. Esta constante evolução assegura a continuidade entre os mundos físico e digital e garante que possamos utilizar nossas identidades de maneira conveniente, independentemente da forma que ela assuma.

As tendências que estão moldando a indústria da identidade

Identidade móvel Em média, checamos nossos smartphones 80 vezes por dia. Para os millenials, esse número sobre para 150*. Este número pode surpreender, até que se pense em tudo o que fazemos com nossos telefones. Nossa dependência desses dispositivos tecnológicos têm estimulado a expectativa de conseguirmos fazer tudo em nossos celulares. Isto também irá acontecer para comprovarmos a nossa identidade.

Com a tecnologia, uma outra tendência crucial entra em cena: a velocidade. As redes 5G do futuro, por exemplo, farão segundos parecerem uma eternidade. Mais rápido agora é o lema de nossas vidas! Os usuários não estão mais dispostos a esperar alguns minutos para verificar sua identidade – ao invés disso, eles exigem verificações de identidade instantâneas e perfeitas.

Também estamos vivenciando a ascensão de biometria. À medida em que os fabricantes de telefones demonstram seu poder e conveniência, a biometria vem sendo mais amplamente aceita, oferecendo uma solução para a nossa necessidade de comodidade e segurança. O Aeroporto Internacional de Changi, por exemplo, já usa biometria para garantir acesso da entrada até o portão de embarque em menos de 10 minutos.

Com esta crescente expectativa de conveniência e experiência de usuário estelar, vem a busca por maiores níveis de segurança a fim de garantir a proteção das nossas identidades móveis. Isto parece natural - dada a época em que vivemos, com o aumento do terrorismo e do crime organizado. Graças aos avanços em documentos mais sofisticados, a simples fraude de documentos está hoje em declínio; por isso, os fraudadores mudaram seus esquemas para explorar potenciais fragilidades em outras partes do processo para seu benefício, e continuam motivados e bem-equipados para alcançarem seus objetivos. Isso exige que os governos e a indústria permaneçam vigilantes e garantam que seus projetos e processos estejam seguros em toda a cadeia, sem vulnerabilidades a fraude ou uso indevido.

Identidade para uma geração móvel

Neste contexto, é natural que a indústria ofereça soluções móveis para a comprovação de sua identidade. E, combinada com as tendências apontadas anteriormente, a maneira como pensamos sobre a identidade está mudando. Assim como você já embarca em um avião com um passe no seu telefone, você também será capaz de comprovar a sua identidade ao mesmo tempo com o seu dispositivo móvel. Assim como você está acostumado a enviar mensagens, fotos e dados pelo seu celular, você também será capaz de compartilhar seus dados de identificação com entidades relevantes, seja na recepção de um hotel ou na entrada de um evento. Isso não irá apenas proporcionar maior comodidade, mas também facilitará o fluxo de viajantes nos aeroportos, portos e fronteiras mais movimentado do mundo; melhorar a experiência dos fãs com a entrada rápida em shows ou estádios; proporcionar acesso direto no edifício de nossos escritórios etc. Acima de tudo, isso vai mudar a forma como reivindicamos nossos direitos. Em uma sociedade com foco na privacidade, seremos capazes de responder apenas à pergunta que for feita: provarmos que somos maior de idade sem revelar a nossa data de nascimento, confirmarmos o número do nosso passaporte sem entregá-lo, confirmarmos nosso país de residência sem fornecer nosso endereço completo.

Documentos de identificação física também se adaptam às nossas sociedades modernas

Casos de uso chamativo em um mundo onde não existem mais carteiras nos inspiram à medida em que olhamos para o futuro; mas, para uma grande parte do mundo, esses casos ainda são apenas isso: futuristas. Os grandes avanços na tecnologia de identificação vão levar tempo para se espalharem pelos quatro cantos do mundo e, por enquanto, documentos físicos ainda são muito relevantes. Eles são a resposta a vários desafios na área, como os momentos em que não há conectividade ou estamos sem bateria. Seu documento físico está sempre à mão para confirmar sua identidade.

Porém, antes que os passaportes se tornem exclusivamente digitais, é preciso garantir a interoperabilidade em todo o mundo. Afinal, o país de destino da sua viagem deverá sempre ser capaz de checar seu passaporte – o que torna a interoperabilidade essencial. Assim, para os próximos anos, embora a identidade móvel ofereça mais conveniência em vários casos, ela continuará sendo a companheira digital do documento físico (pense nisso como o original que você guarda em segurança em casa).

Ainda estamos na fase inicial das soluções de identificação digital, o que torna o setor ainda mais emocionante. A IDEMIA visa proporcionar aos usuários finais a capacidade de usar suas credenciais de identidade de maneiras novas e inovadoras – ao mesmo tempo em que assegura os mais altos padrões de segurança e usabilidade -, tanto na esfera física quanto na digital.

Interessado no futuro da identidade? Visite o nosso Centro de Inovação Pop-Up em Londres, de 25 a 27 de junho de 2018, no QEII Centre.

* https://nypost.com/2017/11/08/americans-check-their-phones-80-times-a-day-study/
https://www.inc.com/john-brandon/science-says-this-is-the-reason-millennials-check-their-phones-150-times-per-day.html